Criado em 11 de Janeiro de 2012

Hyde Park em Londres, botando a boca no trombone

Um dos principais símbolos democráticos no mundo, famoso pela liberdade de expressão, o Speaker's Corner é um dos melhores lugares pra se dizer o que se pensa em Londres

No Hyde Park em Londres só não pode soltar o verbo contra a Família Real e governo inglês, o resto vale tudo! Salvo exceções, no Speaker’s Corner – ou Canto do Orador – pode-se falar de religião a futebol, passando por política, moralidade e eventos atuais.

Na manhã de qualquer domingo do ano, quem tiver um parecer a fazer e os que quiserem ouvi-lo se reúnem onde a Oxford Street e o Hyde Park se encontram, nas sombras de Marble Arch, para continuar uma tradição oral que vigora na capital há mais de 150 anos.

Tudo começou em 1855, com a eclosão de motins ao longo do Hyde Park em Londres em protesto ao Sunday Trading Bill, que proibia a compra e venda em um Domingo, o único dia de trabalho que as pessoas tinham de folga. Os motins foram descritos por Karl Marx como o início da Revolução inglesa.

E conforme previsto, a área tornou-se o palco de muitos outros protestos, tanto que as constantes agitações para reforma democrática incentivaram a questão do Direito de Falar no Hyde Park.

Assim, foi estabelecido o Ato de Regulamentação dos Parques de 1872, que permitia as reuniões públicas no parque.

Uma visita a uma das mais excêntricas alterações de Londres irá oferecer um vislumbre do verdadeiro passado de Londres, onde os londrinos se engajavam a calorosas discussões, que invariavelmente se transformavam em altos e contenciosos debates.

Aqui não existe nenhum procedimento parlamentar, é um local destinado ao discurso livre e se você tem algo em mente, você está livre para participar.

Turistas muitas vezes podem ser vistos entrar em discussões acirradas com os habitantes locais e outros visitantes. O Speaker’s Corner não exige nenhuma qualificação ou convite. É como um fórum aberto, sem classes onde a liberdade de expressão funciona.

Para discursar, o orador tem de estar sobre um caixote ou tablado, pois, segundo a tradição Britânica, o orador não pode estar sobre solo inglês, se o orador não estiver pisando em solo inglês ele estará isento das leis e tradições britânicas.

Ao redor de cada orador, reúnem-se inúmeras pessoas e algumas das denominações mais extremistas causam discórdia entre a multidão, o que torna o Speaker’s Corner um dos pontos turísticos mais memoráveis de Londres.

À primeira vista, tudo pode parecer mais uma congregação de loucos do que uma reunião mentes brilhantes. Mas não se deixe enganar. Algumas das mais veneradas mentes políticas e literárias do século passado passaram pelo Steaker’s Corner.

Entre os notáveis assíduos estão Karl Marx – intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina no comunista moderna –, Vladimir Lenin – responsável pela Revolução Russa de 1917, líder do Partido Comunista e primeiro presidente do Conselho dos Comissários do Povo da União Soviética.

George Orwell – escritor e jornalista inglês, autor do famoso romance anti-utópico Mil Novecentos e Oitenta e Quatro ou 1984 –, William Morris – pintor e escritor inglês e um dos fundadores do movimento socialista na Inglaterra – além de outras inúmeras figuras influentes do mundo moderno.


Com a popularidade dos Flash Mobs – aglomerações instantâneas de pessoas em um local público para realizar determinada ação inusitada previamente combinada – a tradição de expressar-se em público se tornou global.

No entanto, esta é ainda uma das experiências mais autênticas e acessíveis que qualquer visitante para Londres poderia esperar. Assim, se o tempo estiver bom, não perca a chance de ouvir ou quem sabe participar de uma acirrada discussão numa das esquinas mais democráticas do mundo.

Qual a sua avaliação?

You have already rated this post. Thank you!

0 5

0 Avaliações